UEL Vestibular 2019 - Questões de Geografia


VESTIBULAR UEL 2019 – PRIMEIRA FASE – CONHECIMENTOS GERAIS

Questão 02. Leia o texto a seguir.
A modernidade [...] é um fenômeno de dois gumes. O desenvolvimento das instituições sociais modernas e sua difusão em escala mundial criaram oportunidades bem maiores para os seres humanos gozarem de uma existência segura e gratificante que qualquer tipo de sistema pré-moderno. Mas a modernidade tem também um lado sombrio.
GIDDENS, A. As consequências da modernidade. São Paulo: Editora Unesp, 1991, 2ª reimpressão, p. 16.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o debate a respeito da modernidade, considere as afirmativas a seguir.
I. Para Marx, a modernidade identificava-se com o capitalismo, o qual continha, em suas origens industriais, dimensões sociais potencialmente revolucionárias.
II. No momento do surgimento do industrialismo, Durkheim identificou o lado sombrio da modernidade com a possibilidade dos fenômenos da anomia social.
III. Weber compreendia o mundo moderno como aquele no qual a racionalização implicava a expansão da burocracia e dos limites que o corpo de funcionários estabelecia à autonomia individual.
IV. Para Giddens, a atual fase da modernidade, ao reduzir as possibilidades de autodestruição social, eliminou a existência da chamada “sociedade de risco”.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
Alternativa correta: d
Conteúdo programático: Mudança/transformação social/movimentos sociais/direitos/cidadania.
Justificativa
I. Correta. A ideia de modernidade em Marx está colocada no Manifesto do Partido comunista, quando analisa o surgimento da sociedade capitalista. Marx vê, inclusive, uma fase revolucionária na sociedade burguesa em relação à sociedade feudal.
II. Correta. As rápidas transformações produzidas pelo desenvolvimento das sociedades na Europa e seus desdobramentos em movimentos revolucionários e conflitos sociais conduziu Durkheim a visualizar os perigos de uma desagregação social profunda, a qual caracterizou como “anomia social”. Portanto, para evitar que as sociedades mergulhassem em um estado anômico, Durkheim defende a necessidade de se conhecer as instituições e fazê-las agir coordenadamente, com o intuito de garantir a harmonia social.
III. Correta. Na leitura weberiana, a tendência do mundo moderno é para a racionalização de suas estruturas e a constituição de burocracias dotadas de um agir impessoal. A racionalização do mundo conduziria a padronizações e a um mundo desencantado e, portanto, redutor das liberdades e criatividades individuais.
IV. Incorreta. Para Guiddens, acompanhando Beck, viver na modernidade é viver em um mundo aberto a possibilidades e sujeito a riscos. A modernidade criaria, assim, tanto perigos, riscos, tais como a expansão das tecnologias (nucleares, bélicas etc.), como também vantagens, para a expansão da construção das relações sociais entre os indivíduos.

Questão 22. Escândalos recentes sobre a exposição de dados dos usuários do Facebook alimentaram os debates sobre a privacidade nas redes sociais, um tema que se conecta com a questão do poder e suscita preocupações sobre o quanto as pessoas e suas relações tornam-se expostas ou protegidas com o uso das novas tecnologias de informação.
Com base nos conhecimentos sociológicos sobre redes sociais e sociedade contemporânea, assinale a alternativa correta.
a) A revolução tecnológica atual originou-se da resistência social à reestruturação global do capitalismo e moldou- -se pela lógica da liberdade em oposição aos interesses mercantis.
b) O novo das redes sociais é que, diferentemente das mídias tradicionais, são empreendimentos anticapitalistas por não cobrarem dos usuários o acesso aos serviços de informação.
c) As interações via redes sociais tornam mais fluidas as fronteiras entre as esferas pública e privada no mundo contemporâneo.
d) A força política das fake news, nas recentes eleições presidenciais nos EUA, teve como motor a ausência de medidas estatais e privadas para regular os termos de uso das redes sociais.
e) Os sistemas de comunicações digitais, ao criarem novos espaços de diálogo sobre os problemas sociais, retiram do Estado sua principal função: o uso do monopólio legítimo da violência.
Alternativa correta: c
Conteúdo programático: Indivíduo, Identidade e Socialização. Mudança/Transformação Social/Movimentos Sociais/Direitos/Cidadania.
Justificativa
a) Incorreta. Como se pode acompanhar, por exemplo, na obra A sociedade em rede, de Manuel Castells, entre outras, o papel do financiamento militar e dos mercados foi decisivo para a formação da indústria eletrônica. (CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999)
b) Incorreta. O desenvolvimento dessa indústria eletrônica, base das tecnologias de informação e condição para a formação e expansão das redes sociais, vincula-se diretamente aos interesses do mercado desde a formação, ainda que de forma paradoxal, no percurso de seu desenvolvimento. A gratuidade para o acesso a algum serviço das redes sociais, quando disponível, envolve, frequentemente, o interesse do provedor na captura e uso dos dados dos perfis de seus usuários, ligando-se, assim, também a objetivos mercantis.
c) Correta. A separação entre as esferas pública e privada é, em termos clássicos, uma das características definidoras da sociedade moderna ocidental. Com o advento e expansão das tecnologias de informação e das redes sociais, estudos têm revelado que tal separação adquire novas complexidades e, com isso, os entendimentos sociais sobre os limites entre o que se considera uma experiência pública ou privada tornam-se também mais cambiantes e polissêmicos. Essas mudanças, incluindo as divergências sobre a caracterização do que é público e privado, colocam em evidência o fato de que as fronteiras entre essas esferas foram estreitadas, permitindo, com mais facilidade, os trânsitos entre os dois lados da divisão.
d) Incorreta. A força política das fake news é um fenômeno que se amplia, a despeito da existência de normas e regulamentações sobre o uso dos serviços, o que tem acompanhado o desenvolvimento das redes sociais. A circulação de fake news em processos eleitorais, a exemplo da recente eleição presidencial dos Estados Unidos da América, tem levado à ampliação das medidas de prevenção e combate dessa prática, porém não se tratou de, uma nova invenção. Anteriormente a este período, redes sociais como Facebook ja dispunham de canais para denúncias de conteúdos e de perfis. A eficácia dessas medidas, contudo, é um desafio constante diante das novas dinâmicas comunicacionais com o uso de mídias digitais.
e) Incorreta. Em termos de teoria política, o Estado segue sendo a instituição que detém legitimamente o monopólio do uso da violência, ou da força. Os espaços sociais criados no mundo digital podem influenciar o campo da política institucional, mas não a substituem. As decisões políticas, na sociedade contemporânea, seguem sendo tomadas no âmbito do Estado.

Questão 30 Leia o texto a seguir.
A climatologia constitui o estudo científico do clima. Ela trata dos padrões de comportamento da atmosfera em suas interações com as atividades humanas e com a superfície do Planeta durante um longo período de tempo.
MENDONÇA, F; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2007, p. 15.
Com base nos conhecimentos sobre climatologia, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) às afirmativas a seguir.
( ) O estudo em climatologia possibilitou desvendar as dinâmicas naturais e o comportamento da atmosfera para que grupos sociais superassem a condição de meros espectadores das intempéries naturais e compreendessem o funcionamento de alguns fenômenos, em diferentes escalas.
( ) Os monitoramentos das condições atmosféricas, realizados a cada segundo, em escala local, foram possíveis em razão do lançamento de satélites meteorológicos, de maior confiabilidade, desde o final do século XIX.
( ) A ilha de calor é um fenômeno climático típico das grandes cidades que colabora para aumentar os índices de poluição, resultando na elevação das temperaturas médias nas áreas centrais da mancha urbana, em comparação com as áreas periféricas ou rurais.
( ) O difícil acesso às informações meteorológicas e climáticas tornou os conhecimentos da dinâmica atmosférica planetária e regional restritos à elite científica, o que impediu a elaboração de pesquisas e a popularização da ciência climatológica.
( ) Os elementos do clima – radiação solar, temperatura e umidade do ar, pressão atmosférica, velocidade e direção do vento, precipitação – são grandezas que caracterizam o estado da atmosfera e descrevem suas condições em um dado local e instante.
Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência correta.
a) F, V, F, V, V.
b) F, V, V, F, F.
c) V, F, F, V, F.
d) V, F, V, F, V.
e) V, V, F, F, V.
Alternativa correta: d
Conteúdo programático: A apropriação e exploração dos diferentes elementos da natureza, a partir de conceitos básicos relativos a: características, dinâmicas e interações climáticas.
Justificativa
I. Verdadeira. Ao conhecer a dinâmica dos fenômenos naturais, o homem pôde interferir e atuar sobre essa dinâmica. Nos primórdios da humanidade, o conhecimento sobre a atmosfera era muito pobre, assim como era, de maneira geral, todo o conhecimento humano da realidade, devido à fraca capacidade de abstração naquela época. O conhecimento humano desenvolveu e apresentou explicações lógicas para aqueles fenômenos naturais, formando, então, as bases iniciais para a origem do estudo científico da atmosfera. O homem passa à condição de utilitário dos fenômenos em diferentes escalas.
II. Falsa. O desenvolvimento técnico-científico da sociedade no período pós-guerra permitiu a invenção de inúmeros aparelhos para a mensuração dos elementos atmosféricos com maior confiabilidade. O lançamento de satélites meteorológicos a partir da década de 1960 permitiu a análise e o monitoramento minuto a minuto das condições atmosféricas em escala regional e planetária.
III. Verdadeira. A ilha de calor é um fenômeno climático típico das grandes cidades, que também colabora para aumentar seus índices de poluição, resultando na elevação das temperaturas médias nas áreas centrais da mancha urbana, se comparado com as áreas periféricas ou com as rurais. Sua variação térmica pode chegar a 7 °C. A substituição da vegetação, original ou plantada, por grande quantidade de casas e prédios, ruas e avenidas, pontes e viadutos e uma série de outras construções faz aumentar significativamente a irradiação de calor para a atmosfera em comparação com as zonas periféricas ou rurais, onde, em geral, é maior a cobertura vegetal.
IV. Falsa. Na atualidade, com o aumento da velocidade do sistema de comunicação planetário possibilitado pela Internet, inaugurou-se um período de intensa circulação de informações, o que facilitou sobremaneira a difusão de dados meteorológicos e climáticos. O acesso a essas informações possibilitou um melhor conhecimento da dinâmica atmosférica planetária e regional, o que contribuiu com a elaboração de pesquisas e popularizou a climatologia.
V. Verdadeira. Os elementos ou atributos do clima são variáveis que caracterizam o estado da atmosfera, ou seja, radiação solar, temperatura do ar, umidade do ar, pressão atmosférica, velocidade e direção do vento, precipitação, etc. descrevem as condições atmosféricas em dado local e instante da Terra. Todavia, esses elementos, em suas diferentes manifestações, variam espacial e temporalmente, em decorrência da influência dos fatores geográficos do clima, que são: a latitude, a altitude, a maritimidade, a continentalidade, a vegetação e as atividades humanas.

Questão 31 Leia o texto a seguir,
Uma ínfima minoria, já excepcionalmente munida de poderes, de propriedades e de privilégios considerados implícitos, detém de ofício esse direito. Quanto ao resto da humanidade, para “merecer” viver, deve mostrar--se “útil” à sociedade, pelo menos àquela parte que a administra e a domina: a economia, mais do que nunca confundida com o comércio, ou seja, a economia de mercado. “Útil”, aqui, significa quase “rentável”, isto é, lucrativo ao lucro.
FORRESTER, V. O Horror econômico. São Paulo: UNESP, 1997. p.13.
Com base nos conhecimentos históricos sobre a economia mundial e nas considerações de Viviane Forrester, assinale a alternativa correta.
a) As práticas toyotistas foram incorporadas pelo modelo econômico neoliberal para potencializar a produtividade do trabalho.
b) A política econômica de Hegel de estatização da economia impediu os trabalhadores de escolherem livremente seus empregos.
c) O Plano Marshall foi implementado pelos EUA para reconstruir sua infraestrutura econômica de indústria nacional devastada pela Segunda Guerra Mundial.
d) A Glasnost, criada por Gorbatchev na U.R.S.S., representou a salvação da bancarrota da economia soviética.
e) Mahatma Gandhi, ao fiar o algodão para produzir seu próprio tecido, incentivou os indianos a participarem do mercado britânico.
Alternativa correta: a
Conteúdo programático: O Mundo Contemporâneo.
Justificativa
a) Correta. O Toyotismo aprimorou a produtividade do sistema industrial na fase do neoliberalismo, ampliando os lucros.
b) Errada. O filosofo alemão Hegel não estabeleceu princípios econômicos de estatização da economia. Hegel apresentou fundamentos filosóficos para a compreensão do mundo.
c) Errada. O Plano Marshall não foi implantado pelos EUA em seu próprio território, pois esse país não teve sua infraestrutura produtiva devastada pela 2ª Guerra Mundial. Tal plano foi utilizado para a recuperação da infraestrutura da Europa.
d) Errada. A Glasnost, criada por Gorbatchev, estava vinculada à ampliação da liberdade política do regime soviético e não ao sistema econômico. Sobre esse sistema o plano teve a denominação de Perestroika.
e) Errada. Ao fiar de forma artesanal o seu próprio tecido, Mahatma Ghandi buscava o enfrentamento com as tecelagens britânicas que dominavam o mercado comercial indiano.

Questão 37 - Leia o texto a seguir.
No sentido antigo do termo, um recurso natural, como todas as formas de vida, é algo intrinsecamente dotado do poder de auto-renovação. Essa compreensão profunda da vida é negada pelas novas “empresas de ciências da vida” que impedem a auto-renovação da vida a fim de transformar os recursos naturais em matérias-primas lucrativas.
CAPRA, F. As conexões ocultas: Ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Cultrix, 2003. p. 209.
Quando se deslumbram encantamentos e desencantamentos na chamada sociedade do conhecimento científico e tecnológico de fins do século XX e primórdios do século XXI, como aludido no texto, pode-se afirmar que
a) a transgenia aplicada na produção agrícola permitiu aos produtores rurais a geração de suas próprias sementes transgênicas, dando-lhes autonomia produtiva.
b) a biopirataria praticada pelos povos nativos prejudicou os lucros das corporações transnacionais envolvidas diretamente nos direitos sobre as patentes de suas pesquisas tecno-científicas.
c) a partir do desenvolvimento científico da biotecnologia, os profissionais vinculados a essa área se tornaram responsáveis a cumprir os preceitos da bioética.
d) o projeto de pesquisa científico e tecnológico de mapeamento genético denominado Genoma Humano foi desenvolvido pela Bayer e teve sua patente reconhecida pela ONU.
e) o patrimônio genético dos povos nativos e seus conhecimentos de práticas milenares de cultivo e de relação com seu habitat gerou-lhes rendimentos lucrativos no Banco Mundial.
Alternativa correta: c
Conteúdo programático: O Mundo Contemporâneo: globalização, neoliberalismos, a questão ambiental e a sociedade do conhecimento.
Justificativa
a) Incorreta. A transgenia, ou a produção de espécies transgênicas, teve como um dos componentes dos novos produtos criados elementos inseridos nas espécies que impedem a sua autorreprodução de forma eficaz. Além disso, não existem acordos realizados entre empresas de biotecnologia e produtores rurais para a produção de suas próprias sementes.
b) Incorreta. A biopirataria não atingiu as corporações transnacionais, pois elas estão protegidas dessa atividade por estarem resguardadas com seus direitos de patentes. Além disso, realizaram em grande parte essa prática de roubo com inúmeros povos nativos de vários continentes.
c) Correta. Os preceitos da bioética estão em pauta em um debate de extrema importância sobre a regulamentação pública de suas práticas e com exercícios de circunscrever os deveres e direitos dos profissionais diretamente vinculados às atividades de pesquisa com seres vivos.
d) Incorreta. O projeto Genoma Humano não foi desenvolvido pela Bayer nem teve seus direitos de patente reconhecidos pela ONU.
e) Incorreta. Os rendimentos milionários dos direitos de patentes provindos do conhecimento dos povos nativos não retornaram a eles sob forma de aplicações no Banco Mundial.

Questão 38 - Leia o texto a seguir.
Todos os espaços são geográficos porque determinados pelo movimento da sociedade, da produção. Mas tanto a paisagem quanto o espaço resultam de movimentos superficiais e de fundo da sociedade, uma realidade de funcionamento unitário, um mosaico de relações, de formas, funções e sentidos.
SANTOS, M. Metamorfose do Espaço habitado: Fundamentos teóricos e metodológicos da Geografia. São Paulo: EDUSP, 2008, p.67.
O espaço geográfico é o principal objeto de estudo da Geografia e, a partir dele, conceitos e categorias de análises compõem a relação sociedade-natureza.
Com bases nesses conhecimentos, associe a coluna da esquerda com a coluna da direita.
(I) Paisagem
(A) Caracteriza-se pela valorização das relações de afetividade desenvolvidas pelos indivíduos em relação ao ambiente, sendo o resultado de significados construídos pela experiência, com referenciais afetivos desenvolvidos ao longo da vida.
(II) Lugar
(B) Compreende tudo aquilo que nós vemos, o que nossa visão alcança: trata-se do domínio do visível, aquilo que a vista abarca. Forma-se não apenas de volumes, mas também de cores, movimentos, odores, sons etc.
(III) Território
(C) Sistema integrado de fluxos que se constitui por pontos de acesso, arcos de transmissão e nós ou polos de bifurcação, definindo-se pelo grau de acesso que eles oferecem, além de exibirem aspectos materiais, embora seu conteúdo seja imaterial.
(IV) Região
(D) Liga-se à formação econômica e social de uma nação, sendo produto do processo de apropriação e domínio social, cotidianamente, inscrevendo-se num campo de poder, de relações socioespaciais, nas quais a natureza exterior do homem está presente de diferentes maneiras.
(V) Rede
(E) É uma porção do espaço delimitada a partir do agrupamento de aspectos, em certa medida, homogêneos, seja por um critério físico-natural, socioeconômico, cultural, entre outros, que resulta em uma diferenciação de área.

Assinale a alternativa que contém a associação correta.
a) I-A, II-B, III-C, IV-E, V-D.
b) I-A, II-D, III-C, IV-B, V-E.
c) I-B, II-A, III-D, IV-E, V-C.
d) I-B, II-D, III-A, IV-C, V-E.
e) I-E, II-A, III-B, IV-C, V-D.
Alternativa correta: c
Conteúdo programático: A apropriação e exploração dos diferentes elementos da natureza, a partir de conceitos básicos. Os processos sociais e culturais e suas expressões territoriais. A dimensão política do espaço geográfico. A leitura de diferentes linguagens e a produção de conhecimentos geográficos.
Justificativa
(I-B) PAISAGEM é tudo aquilo que nós vemos, o que nossa visão alcança. Pode ser definida como o domínio do visível, aquilo que a vista abarca. É formada não apenas de volumes, mas também de cores, movimentos, odores, sons, etc. Dessa forma, a percepção é sempre um processo seletivo de apreensão. Precisa ser apreendida para além do que é visível, observável. Essa apreensão é a busca das explicações do que está por trás da paisagem, a busca dos significados do que aparece.
(II-A) LUGAR – Caracteriza-se pela valorização das relações de afetividade desenvolvidas pelos indivíduos em relação ao ambiente, sendo o resultado de significados construídos pela experiência. Trata-se de referenciais afetivos desenvolvidos ao longo da vida. Lugar se diferencia pela maneira como os fatores internos resistem aos externos, determinando as modalidades do impacto sobre a organização pré-existente. A partir desse choque, impõe-se uma nova combinação de variáveis, um novo arranjo, destinado a se manter em constante movimento. É onde a vida acontece, é o locus do convívio social.
(III-D) TERRITÓRIO - Está ligada à formação econômica e social de uma nação, sendo produto do processo de apropriação e domínio social, cotidianamente, inscrevendo-se num campo de poder, de relações socioespaciais, nas quais a natureza exterior do homem está presente de diferentes maneiras. Define-se também como sendo formada pela constelação dos recursos naturais – lagos, rios, planícies, montanhas e florestas – e também de recursos criados: estradas de ferro e de rodagem, condutos de toda ordem, barragens, açudes, cidades, o que for. É esse conjunto de todas as coisas, arranjadas em sistema, uma totalidade, ainda que inerte. Refere-se ao conceito de Milton Santos sobre o território usado (2000, p. 105), que se constitui como um todo complexo, em meio a uma trama de relações complementares e conflitantes. Daí o vigor do conceito, que convida a pensar processualmente as relações estabelecidas entre o lugar, a formação socioespacial e o mundo.
(IV-E) REGIÃO - É uma porção do espaço delimitada a partir do agrupamento de aspectos, em certa medida, homogêneos, seja por um critério físico-natural, socioeconômico, cultural, entre outros, que resulta em uma diferenciação de área. É também uma unidade administrativa, já que os Estados utilizam, para administração com fins de planejamento e hierarquia, a divisão regional. A região não é estática e engessada; ao contrário disso, ela é dinâmica.
(V-C) REDE – Esquematicamente, uma rede é um sistema integrado de fluxos. A rede é constituída por pontos de acesso, arcos de transmissão e nós ou polos de bifurcação. Numa rede, o valor dos lugares define-se pelo grau de acesso que eles oferecem ao conjunto da rede. As redes exibem aspectos materiais, como os computadores, cabos de fibra óptica e satélites de comunicação, mas seu conteúdo é imaterial.

Questão 41 - Analise o mapa a seguir.

Adaptado de: VESENTINI, J. W. O Ensino de Geografia e as Mudanças Recentes do Espaço Geográfico Mundial. São Paulo: Ática, 1992.
Como base no mapa e nos conhecimentos da geopolítica mundial no século XX, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) às afirmativas a seguir.
( ) O término da Segunda Guerra Mundial inaugurou o período denominado Guerra Fria marcado pelo confronto ideológico entre a URSS e os EUA, gerando diversos conflitos por disputas de territórios.
( ) Fidel Castro se aproximou do bloco socialista, do qual nasceu um plano que levou a uma das maiores crises políticas da Guerra Fria: o conflito entre a União Soviética e os Estados Unidos (1962), designado como a Crise dos Mísseis em Cuba.
( ) A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) é uma aliança militar fundada no princípio da segurança coletiva com o objetivo de manter a paz entre os países membros e a democracia dentro deles.
( ) A corrida armamentista constitui-se em uma característica secundária deste período, já que a questão central da geopolítica, pós Segunda Guerra Mundial, foi a disseminação da organização espacial mundial multipolar.
( ) A designação de “fria” vinculou-se a um período geopolítico no qual se destacava a abstenção das superpotências nos conflitos militares nas áreas periféricas do mundo, de forma que os norte-americanos e os soviéticos se desvincularam de guerras localizadas em outras partes do mundo.
Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência correta.
a) V, V, V, F, F.
b) V, V, F, F, F.
c) V, F, F, V, V.
d) F, F, V, V, V.
e) F, F, F, V, V.
Alternativa correta: a
Conteúdo programático: A dimensão política do espaço geográfico: a constituição dos blocos de poder e as transformações territoriais. Regionalização do espaço mundial; A leitura de diferentes linguagens e a produção de conhecimentos Geográficos. Análise e interpretação de mapas, gráficos.
Justificativa
I. Verdadeira. A Segunda Guerra Mundial finaliza com a demonstração do poderio nuclear dos Estados Unidos, com os ataques nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, e teve como desdobramento um confronto ideológico com a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), denominado Guerra Fria. No curso final da Guerra, realiza-se a divisão da Europa, por conseguinte, do mundo, em duas áreas de influência, sem alterações nas três décadas seguintes. Dessa forma, estavam colocadas as bases para o que se chamou de mundo bipolar, que se constituía de um equilíbrio estratégico entre os EUA e a URSS.
II. Verdadeira. Fidel Castro se aproximou do bloco socialista mediante o diálogo com o presidente Nikita Kruschev, do qual nasceu um plano que se desdobrou em uma das maiores crises políticas da Guerra Fria, a Crise dos Mísseis em Cuba, entre a União Soviética e os Estados Unidos (1962). A origem dessa crise política vincula-se à decisão do Partido Comunista soviético de apoiar mais diretamente o governo de Cuba a mando de Fidel Castro, devido ao antecedente criado pela operação fracassada da Baía dos Porcos, que deu mostras inequívocas de que os Estados Unidos não iriam permitir um governo pró-soviético a poucos quilômetros de suas costas.
III. Verdadeira. Criada em 1949, durante a Guerra Fria, a OTAN era uma aliança militar formada apenas por países ocidentais e capitalistas, tendo os Estados Unidos como líder. Essa organização tinha como principal objetivo inibir o avanço do bloco socialista no continente europeu, fornecendo apoio militar para as nações integrantes. Em contrapartida, em 1955, os países socialistas criaram o Pacto de Varsóvia, cujo objetivo era o mesmo da OTAN. A dissolução da União Soviética provocou o fim do Pacto de Varsóvia em 1991, fato que fortaleceu ainda mais a OTAN, expandindo sua zona de influência e passando a atrair países do Leste Europeu, tais como a República Tcheca, a Hungria, a Polônia, a Bulgária, a Romênia, a Eslováquia, entre outros. A Rússia, por sua vez, assinou um acordo de cooperação com a organização em 1997.
IV. Falsa. A corrida armamentista representou a principal característica da Guerra Fria. Como a Guerra Fria foi marcada pela “corrida armamentista”, essa “corrida” levou os soviéticos a obter a tecnologia de artefatos nucleares, porém sem interromper o “equilíbrio” estratégico de não agressão direta entre as duas superpotências. As duas superpotências não tinham o objetivo de que ocorresse a disseminação da organização espacial mundial multipolar, mas a manutenção do mundo bipolar, vinculado aos dois sistemas econômicos e ideológicos dominantes (Socialismo X Capitalismo).
V. Falsa. A bipolaridade no campo militar é evidenciada pela constante luta de superação no arsenal militar entre as superpotências, pois “guerra fria” subentende uma guerra não deflagrada, contudo latente. Assim, as duas superpotências jamais se enfrentaram num conflito militar direto, isto é, não se enfrentaram numa “Guerra Quente”. Daí o conflito entre as duas superpotências ter recebido o nome de “Guerra Fria”. Uma das características principais foi transferir os conflitos militares para áreas periféricas do mundo. Os norte-americanos e os soviéticos se envolveram em guerras localizadas em outras partes do mundo, como África, Ásia e América Latina.

Questão 42 - Da quantidade total de água que recobre o planeta, cerca de 97% encontram-se nos mares e nos oceanos e o restante, 3%, são de água-doce. No entanto, a hidrosfera, tanto nos ambientes de água salgada quanto de água doce, se apresenta diversa em relação aos organismos que dela fazem parte.
Com base nos conhecimentos sobre a hidrosfera, assinale a alternativa correta.
a) Do vapor da água oriundo de áreas continentais, mais de 90% origina-se da evaporação diretamente do solo e o restante se dá pela respiração das plantas.
b) A região bentônica dos ecossistemas marinhos caracteriza-se pela intensa penetração de luz, alta atividade fotossintética, grande disponibilidade de nutrientes e muitos animais.
c) O acúmulo de partículas na água de rios e lagos aumenta a penetração de luz, o que implica aumento da biodiversidade de espécies fotossintetizantes aquáticas.
d) A eutrofização indica que um determinado ambiente aquático alcançou o seu clímax, porque nele são encontradas situações favoráveis para o desenvolvimento dos mais diferentes tipos de seres vivos.
e) Os néctons constituem um grupo de organismos aquáticos, do qual fazem parte os animais com capacidade de deslocamento e natação, como moluscos, cefalópodes, peixes, golfinhos, tartarugas e baleias.
Alternativa correta: e
Conteúdo programático: Ecologia. Diversidade dos seres vivos.
Justificativa
a) Incorreta. Do vapor da água oriundo de áreas continentais, mais de 90% origina-se da transpiração das plantas; o restante evapora-se diretamente do solo. A soma da evaporação e da transpiração constitui a evapotranspiração.
b) Incorreta. Os ecossistemas marinhos dividem-se em dois domínios: bentônico (o leito oceânico) e pelágico (que compreende as águas e se divide nas regiões nerítica e oceânica). A região nerítica compreende da linha costeira até profundidades de 200 metros, cobrindo a plataforma continental, onde há intensa penetração de luz e atividade fotossintética, grande disponibilidade de nutrientes e muitos animais.
c) Incorreta. As principais consequências do acúmulo de partículas no leito dos rios, lagos e oceanos são a redução da penetração da luz, a morte de animais aquáticos, a diminuição da vazão dos cursos de água e o aumento dos custos de obtenção de água potável.
d) Incorreta. A eutrofização de ambientes aquáticos representa uma secessão ecológica, em que comunidades diferentes vão ocupando sucessivamente o mesmo espaço, modificando as condições ambientais e criando situações favoráveis apenas a determinados tipos de seres vivos.
e) Correta. Os néctons constituem um grupo de organismos aquáticos, os quais abrangem os animais nadadores que se deslocam ativamente, como peixes, tartarugas, golfinhos, moluscos e baleias.

Questão 43 - Leia o texto a seguir.
O Aqüífero Guarani constitui-se em um sistema hidroestratigráfico Mesozóico, formado por sedimentos flúviolacustres de idade Triássica (Formação Pirambóia) e por depósitos de origem eólica de idade jurássica (Formação Botucatu). É a denominação formal dada ao reservatório de água subterrânea doce, pelo geólogo Danilo Anton em homenagem à nação Guarani que habitou essa região. Trata-se de um Aqüífero transfronteiriço que se estende por quatro países: Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina.
Adaptado de ZANATTA, L. C. et. al. Qualidade das águas subterrâneas do Aqüífero Guarani para abastecimento público no Estado de Santa Catarina. XV Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, Natal, 2008.
Com base nos conhecimentos sobre o Aquífero Guarani e águas subterrâneas, assinale a alternativa correta.
a) As águas subterrâneas podem ser captadas e ter seu uso imediato no consumo diário, já que sua principal característica é a potabilidade em toda a extensão do aquífero.
b) O conhecimento hidrogeológico deste Aquífero é amplo, o que permite uma gestão adequada de seus recursos, possibilitando a exploração racional e equitativa por parte dos países da borda oriental.
c) Com o desenvolvimento dos planos diretores de uso do solo, todos os municípios localizados sobre o Aquífero são obrigados a aplicar a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o que garante a qualidade das águas infiltradas.
d) Os aquíferos estão protegidos da poluição, já que seu processo de formação impede que os agentes poluidores cheguem às suas águas, o que permite manter sua qualidade.
e) Os aquíferos abastecem a região em que estão inseridos e colaboram com a dinâmica ambiental, econômica e social, mantendo a quantidade de água subterrânea e superficial do planeta.
Alternativa correta: e
Conteúdo programático: A apropriação e exploração dos diferentes elementos da natureza, a partir de conceitos básicos relativos: à gênese e transformação do relevo; dinâmica das bacias hidrográficas e sua utilização; impactos ambientais e suas implicações no mundo moderno.
Justificativa
a) Incorreta. Nem toda água subterrânea pode ser captada e utilizada no consumo diário, já que há pontos de concentração de salinidade, como é o caso das zonas confinadas (intermediária, profunda e alta salinidade) onde não há recarga significante. As águas dessas regiões não são renováveis, sendo consideradas águas fósseis, isto é, sua extração deve ser considerada uma mineração do aquífero, já que não há reposição; são as chamadas zona confinada com água subterrânea salina (FOSTER et al. 2009, p.11).
b) Incorreta. O conhecimento hidrogeológico deste Aquífero ainda é restrito e não permite uma gestão adequada de seus recursos, impedindo a exploração racional e equitativa por parte dos países da borda ocidental. Não se sabe com precisão a quantidade de água armazenada no Aquífero Guarani, no entanto, conforme a Agência Nacional de Águas (ANA), as reservas permanentes de água são da ordem de 45 mil quilômetros cúbicos, sendo que aproximadamente 65% desse total está localizado no território brasileiro. Se o déficit de informação técnica prejudica a formação de uma política para esse recurso, a falta de compreensão social sobre o tema dificulta a legitimação prática de uma eventual legislação de aquíferos (VILLAR, 2008). A América Latina é uma zona rica em águas: além do potencial superficial, foram identificados 29 aquíferos transfronteiriços na região. No Brasil, localizam-se onze desses aquíferos (STEPHAN, 2009). Apesar disso, faltam acordos internacionais sobre o tema na região. No âmbito interno, as políticas nacionais sobre águas subterrâneas estão em estado embrionário, diante da falta de conhecimento técnico ou da capacidade institucional e legal. Dos aquíferos latino-americanos, destaca-se o Aquífero Guarani, alvo de vários projetos internacionais, que permitirão um melhor conhecimento sobre sua dinâmica e características geológicas.
c) Incorreta. Considerando que o Aquífero Guarani é transfronteiriço e, dessa forma, extrapola o território brasileiro, considerar que o desenvolvimento dos planos diretores de uso do solo, que são exclusivos do Brasil, é um equivoco, pois cada país tem sua Política Nacional, seja de Resíduos Sólidos ou de proteção ambiental, e, portanto, não garante que os países que compõem o Aquífero Guarani (Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai) mantenham a qualidade das águas infiltradas, sendo estas passíveis de contaminação.
d) Incorreta. A poluição local tem sido um dos maiores problemas enfrentados e discutidos pelos ambientalistas. Com a expansão da urbanização e da industrialização nas áreas do Aquífero, a contaminação do solo tem afetado a qualidade da água em pontos confinados de recarga e descarga, sendo esta a principal fonte de recarga do aquífero e também a mais vulnerável à contaminação. Em algumas regiões, como, por exemplo, Ribeirão Preto, cidade do estado de São Paulo, o aquífero vem sofrendo contaminação por agrotóxicos e pelo vinhoto (resíduo proveniente da destilação fracionada da cana-de-açúcar). Outras substâncias também podem provocar a poluição desse reservatório subterrâneo, pois a água da chuva entra em contato com esses elementos e, posteriormente, é infiltrada.
e) Correta. Os aquíferos abastecem a região em que estão inseridos e colaboram com a dinâmica ambiental, econômica e social, mantendo o equilíbrio entre a quantidade de água subterrânea e a superficial do planeta. A recarga natural do Aquífero ocorre pela infiltração das águas de chuva nas áreas de afloramentos e, de forma retardada, em parte da área de confinamento, por filtração vertical; ao longo de descontinuidades das rochas a estrutura de um aquífero assinala diferentes camadas geológicas. O Aquífero Guarani é constituído de sedimentos arenosos (arenito) e lavas de basalto, formadas na Era Mesozoica (241 milhões a 65 milhões de anos atrás). Num aquífero, rocha e água formam parte da mesma estrutura. Sua formação geológica, com rochas porosas e impermeáveis, contribuiu para a absorção e armazenamento de captação da água da chuva. Por meio das precipitações e dos rios, os aquíferos continuam a ter sua água reposta.

Questão 44 - Leia o texto a seguir.
[O] vasto contingente de assentamentos inseridos de forma ambígua na cidade é uma das mais poderosas engrenagens da máquina de exclusão territorial que bloqueia o acesso dos mais pobres às oportunidades econômicas e de desenvolvimento humano que as cidades oferecem.
Adaptado de ROLNIK, R. A construção de uma política fundiária e de planejamento urbano para o país -– avanços e desafios. Políticas sociais: acompanhamento e análise, Brasília: IPEA, 2006, p. 200.
Como base no texto e nos conhecimentos sobre a urbanização, considere as afirmativas a seguir.
I. O processo de urbanização no Brasil inicia-se a partir da criação das Regiões Metropolitanas em 1950, tendo em vista que as cidades passavam pela dinâmica de conurbação.
II. O princípio fundador do Estatuto da Cidade é o cumprimento das funções sociais da cidade e da propriedade urbana e visa criar mecanismos destinados à urbanização e à produção de habitação de interesse social para permitir a inclusão urbana da população que se encontra à margem do mercado legal de terras.
III. As condições de habitabilidade das ocupações irregulares, a que parte da população brasileira se submete para sobreviver, refletem a segregação urbana, que se constitui na manifestação da desigualdade socioeconômica e espacial que impera na sociedade brasileira.
IV. A disparidade socioespacial atrela-se à estrutura fundiária urbana brasileira que se sedimenta com a força exercida pela propriedade privada da terra, o que restringe o acesso à terra urbanizada.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
Alternativa correta: e
Conteúdo programático: Os processos sociais e culturais e suas expressões territoriais: atividades econômicas e dinâmicas populacionais. Urbanização.
Justificativa
I. Incorreta. O estudo realizado pelo IBGE constituiu um Grupo de Áreas Metropolitanas para identificação e delimitação de áreas metropolitanas e teve como base a aplicação de critérios elaborados a partir dos dados do Censo de 1970. Desse estudo, na década de 1970, ocorre a criação das primeiras Regiões Metropolitanas, nove no total. A Lei Complementar nº. 14/1973 criou oito regiões metropolitanas: São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém. No ano seguinte, a Região Metropolitana do Rio de Janeiro foi instituída pela Lei Complementar nº 20/1974. Assim, a dinâmica de conurbação – processo em que a área urbana de duas ou mais cidades fica interligada entre si, de modo a não haver uma distinção visual entre ambas, ou seja, as áreas urbanas de diferentes municípios formam uma mesma aglomeração, incluindo aí uma relação socioeconômica de interdependência, algo característico das regiões metropolitanas – não ocorreu na década de 1950. Nessa década, começou a se desenvolver o processo de urbanização nacional. O processo de urbanização acelerado e desorganizado no Brasil pode ser visualizado ao se constatar a seguinte estatística: em 1960, 45,10% da população nacional encontrava-se no espaço urbano; em 1980, passa para 67,59%; em 1996, para 78,36%; em 2000, para 81,25%, atingindo a proporção de 84,35% em 2010 (IBGE, 2000, 2010).
II. Correta. O principal problema do acesso habitacional no Brasil constitui-se na estrutura fundiária urbana. Nesse sentido, o Estatuto da Cidade (Lei Federal n° 10.257 de 10/07/2001) possui como princípio central fazer cumprir a função social da cidade e da propriedade urbana. “Art. 2º A política urbana tem por objetivo ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e da propriedade urbana.” (Lei FEDERAL n° 10.257 de 10/07/2001). Essa Lei constitui-se na base da elaboração do PDM (Plano Diretor Municipal), que busca colocar em prática os instrumentos de planejamento e gestão urbanos. Dentre os objetivos desses instrumentos, destacam-se os voltados ao atendimento às pessoas que se encontram em situações de risco, vulnerabilidade social e ambiental, como a população que vive em ocupações irregulares. Salientam-se as ZEIS, que são áreas destinadas prioritariamente à urbanização e à produção de habitação de interesse social para permitir a inclusão urbana de parcelas da população que se encontram à margem do mercado legal de terras.
III. Correta. As condições de habitabilidade das ocupações irregulares, como os barracos levantados de forma precária sobre áreas de mangue e margens de rios, sem acesso a esgoto e água, atingem a saúde da população. E são fruto de uma política pública habitacional que não proporciona moradia digna para os seus cidadãos. Tal afirmativa pode ser observada na estatística a seguir: São 145 mil domicílios nessa situação, ante 143 mil em 2015. Faltam no país 6,3 milhões de domicílios, segundo levantamento feito em 2015 pela Fundação João Pinheiro (FJP). Ao todo, cerca de 33 milhões de brasileiros não têm onde morar, segundo relatório do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos. Mesmo com iniciativas do governo federal, como o programa Minha Casa Minha Vida, o problema tem se acentuado. Especialistas em habitação traduzem os números: a falta de moradia aumenta o número de invasões e de população favelada — o índice chegou a 11,4 milhões, segundo o Censo 2010 do IBGE. (https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2018/05/03/interna-brasil,678056/deficit-de-moradias-no-brasil-chega-a-6-3-milhoes-sp-tema- maior-defa.shtml).
IV. Correta. A exclusão socioterritorial nas cidades brasileiras é marcada pela lógica da segregação, na qual a população com baixo poder aquisitivo não tem acesso à infraestrutura urbana, tanto social como técnica. Essa realidade vinculasse à estrutura fundiária urbana, que segue a lógica da produção social do espaço urbano capitalista, pois, segundo Correa (2003, p. 7), o espaço urbano capitalista é formado por agentes, num constante processo de reorganização, o fazer e refazer da cidade. Esses agentes sociais são os proprietários dos meios de produção, como os grandes industriais, os proprietários fundiários, os promotores imobiliários, o Estado e os grupos sociais excluídos. O mercado imobiliário inacessível para uma grande parte da população brasileira pode ser elucidado pela afirmativa de Maricato (2013, s/p): “A apropriação principalmente da renda imobiliária e fundiária se dá por interesses privados e com aumento do preço do metro quadrado dos imóveis, que em três anos chegou a 151% em São Paulo e 185% no Rio de Janeiro”. Assim, a elevação do preço da terra engendra a exclusão territorial, pois quem poderá desfrutar da “cidade legal”? E quem irá produzir e subsistir na “cidade ilegal”, precária, insegura, sem acesso a serviços básicos? Portanto, é necessário “[...] distribuir ativo, que é cidade, é terra urbanizada. A questão da terra é central na política urbana, pois ela é dominada por esse mercado restrito, elitista e especulativo. O povo acaba tendo de se virar” (MARICATO, 2012, p. 5).

Questão 46 - O infográfico a seguir apresenta dados referentes ao saneamento básico nos quesitos coleta e tratamento de esgotos nas macrorregiões brasileiras.

Adaptado de Atlas esgotos: despoluição de bacias hidrográficas. Brasília: ANA, Agência Nacional de Águas, Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental, 2017, p. 41.
Com base nos dados do infográfico, nos conhecimentos sobre as desigualdades regionais e a deficiência de infraestrutura urbana, assinale a alternativa correta.
a) As regiões Sul e Nordeste possuem uma cobertura de esgotamento (coletado e tratado) que atinge 87% das pessoas demonstrando a redução das desigualdades inter-regionais da infraestrutura urbana.
b) O esgoto coletado e tratado, juntamente com os da solução individual, nas regiões Norte (63%) e Nordeste (52%), demonstram que a existência dos rios de grande volume de água serve para diluir os esgotos, diminuindo o impacto nos canais, nos rios urbanos e na saúde da população.
c) A modernização do território nacional e o padrão de desenvolvimento econômico concentrador contribuem para a baixíssima remoção de carga orgânica advinda do tratamento do esgoto doméstico com atendimento adequado presente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, correspondendo a 33% e 48%, respectivamente.
d) O panorama geral da coleta e do tratamento de esgotos das macrorregiões brasileiras indica que 57% da população nacional convive com uma paisagem urbana com esgotos a céu aberto e despejado nos córregos e nos rios.
e) O atendimento precário ou inexistente de coleta e tratamento de esgoto ocorre de forma heterogênea, no território inter-regional, afetando 43% da população brasileira.
Alternativa correta: e
Conteúdo programático: A apropriação e exploração dos diferentes elementos da natureza, a partir de conceitos básicos relativos a: dinâmica das bacias hidrográficas e sua utilização, impactos ambientais e suas implicações no mundo moderno; dimensão política do espaço geográfico: Desigualdades regionais. A leitura de diferentes linguagens e a produção de conhecimentos geográficos: análise e interpretação de mapas, gráficos.
Justificativa
a) Incorreta. Os dados do infográfico informam que as regiões Sul e Nordeste não possuem uma cobertura de esgotamento (coletado e tratado) que compreende 87% das pessoas; pelo contrário: os dados revelam que, enquanto a região Nordeste apresenta 52% da população com atendimento precário ou sem atendimento, na região Sul, 35% da população não possui um serviço adequado de coleta e tratamento de esgoto. Salienta-se que os dados da região Sul se destacam ao indicar uma realidade diferenciada em relação à região Nordeste, pois 65% da população pode contar com atendimento adequado. Tal informação demonstra que o padrão de desenvolvimento desigual das regiões brasileiras no que se refere à infraestrutura urbana é um elemento que marca as disparidades do território nacional.
b) Incorreta. Os dados da coleta e tratamento do esgoto juntamente com os da solução individual das regiões Norte e Nordeste revelam a precariedade da infraestrutura urbana dessas regiões, sendo que 67% e 52% respectivamente não possuem forma adequada de coleta e tratamento de esgoto. Constitui-se um equívoco considerar que a existência de rios de grande volume de água serve para diluir os esgotos, diminuindo o impacto nos canais e rios urbanos. Pode-se afirmar que a efetividade do tratamento de esgoto não é uma realidade que se espraia de forma homogênea no território nacional, e os investimentos em infraestrutura urbana estão muito distantes de superar problemas, como enchentes, sujeiras e doenças.
c) Incorreta. A modernização do território nacional e o padrão de desenvolvimento econômico concentrador proporcionaram o desenvolvimento de infraestruturas urbanas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. Essas infraestruturas são fundamentais para a elevada remoção de carga orgânica (esgotos) vinculada ao esgotamento sanitário, uma vez que59% e 63% dessas regiões respectivamente apresentam o adequado atendimento (coletado e tratado juntamente com a solução individual) neste quesito de infraestrutura urbana. Assim, o padrão de desenvolvimento econômico concentrador adotado no Brasil se reflete na modernização do território nacional e resulta na realidade diferenciada entre as regiões.
d) Incorreta. Os dados sobre o panorama geral da coleta e tratamento de esgotos das macrorregiões brasileiras apresentam que 57% da população conta com coleta e tratamento de esgoto, o que não resulta em conviver com a paisagem urbana tipicamente nacional, com esgotos nas ruas, nos córregos e rios, mas sinaliza o avanço na infraestrutura urbana, apesar de não ser o padrão ideal, já que 43% da população ainda tem um atendimento precário ou não tem atendimento. Para o enfrentamento da questão de saneamento ambiental no Brasil, é preciso que as gestões locais (municípios) reconheçam a importância de se executar a universalização do acesso aos serviços de saneamento ambiental. Salienta-se a importância de se formular uma política municipal de saneamento vinculada à política local de desenvolvimento urbano, visando à construção de cidades socialmente justas e ambientalmente sustentáveis.
e) Correta. Os dados do atendimento inadequado e/ou inexistente de coleta e tratamento de esgoto demonstram que isso ocorre de forma heterogênea no território inter-regional, atingindo uma parcela significativa da população brasileira, negligenciando as premissas do saneamento ambiental. Os dados revelam que 43% da população brasileira não conta com a coleta e tratamento de esgoto, o que contribui para a carga poluidora que atinge os corpos d’água, acarretando implicações na garantia da oferta hídrica necessária para o desenvolvimento social e econômico nacional. O saneamento ambiental corresponde a um serviço público e sua prestação deve ser eficaz. O saneamento ambiental constitui o mínimo para se atingir a promoção do direito ao desenvolvimento social ao proporcionar um ambiente de saúde pública aos cidadãos, em clara convergência com a fundamental preservação do meio ambiente.

Questão 50 - O Norte do Paraná só foi integrado à economia nacional nos anos 1930 por meio das ações da Companhia de Terras Norte do Paraná. As populações indígenas que habitavam a região, especificamente a caingangue, pouco tiveram de suas histórias preservadas ou registradas.
Sobre a ocupação que antecedeu os caingangue e que pode ser chamada de experiência guaranítica (Séc. XVI-XVII), atribua V (verdadeiro) ou F (falso) às afirmativas a seguir.
( )A Gobernación del Assunción ligava-se à região do Reino do Paraguai sob controle espanhol, mas de interesse geopolítico para Portugal.
( ) Às margens dos rios Paranapanema, Tibagi, Ivaí e Piquiri foram fundadas reduções jesuíticas para o aldeamento dos índios.
( ) A destruição das reduções jesuíticas nessa região deveu-se ao expansionismo paulista que, por meio de bandeiras, fazia a preação dos indígenas.
( ) A região passou ao domínio português a partir do Tratado de Madri, assinado em 1750, que aboliu o Tratado de Tordesilhas.
( ) A estrada do Peabiru tornou-se um meio estratégico de defesa da população guarani no conflito contra os bandeirantes.
Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência correta.
a) V, V, F, V, F.
b) V, V, V, F, F.
c) F, V, V, V, F.
d) F, F, V, F, V.
e) F, F, V, V, V.
Alternativa correta: c
Conteúdo programático: Mundo da Modernidade: a conquista e a colonização da América e do Brasil. A escravidão e demais formas de trabalho compulsório no Brasil e na América.
Justificativa
I. Falsa. A Gobernación del Assunción ligava-se à Gobernacion del Guayrá, então parte do Vice-Reino da Prata, e não ao Reino do Paraguai.
II. Verdadeira. As reduções jesuíticas foram aldeamentos feitos por padres dessa ordem com o intuito de impor o cristianismo e os valores cristãos entre os indígenas.
III. Verdadeira. Os bandeirantes, senhores vindos da região de São Paulo, invadiram a área espanhola para a caça de índios para a escravização.
IV. Verdadeira. Foi a partir do Tratado de Madri que a região passou para o domínio português, abolindo o Tratado de Tordesilhas.
V. Falsa. A estrada do Peabiru não foi utilizada como instrumento de defesa ou ataque pelos indígenas na luta contra os bandeirantes.

Questão 56 - Leia o gráfico e o texto a seguir.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação do trimestre encerrado em março de 2018 chegou a 13,1%, com aumento de 1,3 ponto percentual em relação ao último trimestre do ano passado (11,8%). O total de pessoas desocupadas cresceu no período, passando de 12,3 milhões para 13,7 milhões. (Adaptado de agenciadenoticias.ibge.gov.br.)
Com base no gráfico e no texto, considere as afirmativas a seguir.
I. A taxa de desocupação no primeiro trimestre de 2017 é maior nesta série histórica e apresenta uma oscilação de 0,6 ponto percentual se comparado ao mesmo período de 2018.
II. A taxa de desocupação apresentada no primeiro trimestre de 2018 indica que houve um crescimento de 6,6 pontos percentuais em relação ao último trimestre de 2014.
III. Ao longo de 2017, a taxa de desocupação apresentou queda e, no trimestre seguinte, houve dispensa de trabalhadores representando perda de postos de trabalho.
IV. A taxa de desocupação apresentou queda, se comparados o primeiro trimestre de 2016 ao mesmo período de 2017.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
Alternativa correta: d
Conteúdo programático: Os processos sociais e culturais e suas expressões territoriais: produção de conhecimento, transformações tecnológicas e o mundo do trabalho. A leitura de diferentes linguagens e a produção de conhecimentos geográficos.
Justificativa
I. Correta. A taxa de desocupação tem, no primeiro trimestre de 2017 (13,7%), o maior percentual de desocupação da série histórica apresentada, mesmo quando comparado ao mesmo período de 2018 (13,1%), que se apresenta elevado; este é 0,6 pontos percentuais menor que o primeiro trimestre de 2017.
II. Correta. A redução dos postos de trabalho permanece em queda no primeiro trimestre de 2018 (13,1%), porém no confronto entre o primeiro trimestre de 2018 e o último trimestre de 2014, verifica-se que o número de desocupados cresceu em 6,6 pontos percentuais, em relação a 2018.
III. Correta. Ao longo do ano de 2017, a taxa de desocupação apresentou queda (11,8%), mas no trimestre seguinte houve uma dispensa expressiva de trabalhadores, e isso se reverteu em uma perda de postos de trabalho e no aumento de pessoas na fila da desocupação, chegando a 13,1% a taxa de desocupação.
IV. Incorreta. A taxa de desocupação apresentou aumento, se compararmos o primeiro trimestre de 2016 (11%) ao mesmo período de 2017 (13,7%).

Questão 57 - Leia o texto a seguir.
O prefixo “des” indica anomalia. “Desemprego” é o nome de uma condição claramente temporária e anormal, e, assim, a natureza transitória e curável da doença é patente. A noção de “desemprego” herdou sua carga semântica da auto consciência de uma sociedade que costumava classificar seus integrantes, antes de tudo, como produtores, e que também acreditava no pleno emprego não apenas como condição desejável e atingível, mas também como seu derradeiro destino. Uma sociedade que, portanto, classificava o emprego como uma chave – a chave – para a solução dos problemas ao mesmo tempo da identidade pessoal socialmente aceitável, da posição social segura, da sobrevivência individual e coletiva, da ordem social e da reprodução sistêmica.
BAUMAN, Z. Vidas despedaçadas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005. p. 19.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre as transformações mais recentes quanto ao tema desemprego no capitalismo, considere as afirmativas a seguir.
I. A tendência no capitalismo globalizado é tornar os postos de trabalho mais flexíveis para atender necessidades das grandes corporações, levando a questionamentos do modelo taylorista-fordista.
II. A perda de identidade em relação ao emprego no capitalismo contemporâneo confirma o fato de que a categoria trabalho deixou de ser essencial para a produção e reprodução da vida social.
III. As políticas antissindicais que acompanham as práticas neoliberais apresentam como resultado a supressão das crises econômicas globais com o restabelecimento do pleno emprego.
IV. O desemprego, no capitalismo globalizado, tem a longa duração como seu traço característico, enquanto avança o emprego precário e de alta rotatividade, como nos call centers.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
Alternativa correta: b
Conteúdo programático: Relação homem/natureza: a questão do trabalho na perspectiva antropológica e sociológica.
Justificativa
I. Correta. A flexibilização das relações de trabalho e das normas trabalhistas tem sido uma das características marcantes do capitalismo globalizado ou mundializado. Com isso, as grandes corporações buscam dar conta de seus  problemas de taxa de lucro, recorrendo, em contrapartida, a modificações no antigo modelo produtivo ancorado nas práticas propostas pelo taylorismo-fordismo, que propunham um modo de organização do trabalho essencialmente rígido, seja pelo cronômetro e fragmentação da atividade de trabalho, seja pela linha de montagem com a esteira rolante.
II. Incorreta. Embora estudos apontem para a perda da identidade com o trabalho, como é o caso de André Gorz, em seu clássico livro Adeus ao proletariado, que remete à imagem da “não-classe-dos-não-trabalhadores”, como também em significativa parte da produção recente que fala em “fim da sociedade do trabalho”, toda e qualquer forma de sociedade continuará dependendo da mediação das forças vitais humanas com a natureza, ou seja, as condições objetivas, para realizar seu processo sociometabólico de existência do gênero humano. Portanto, o trabalho independentemente da forma de sociabilidade humana constitui a essência do ser social.
III. Incorreta. As práticas antissindicais desenvolvidas pelas empresas ao redor do mundo não têm garantido a realização do pleno emprego nem o fim das crises econômicas. Pelo contrário, quanto maior a dificuldade de organização sindical, conforme revelam vários estudos na área de sociologia do trabalho, maiores são as tendências de precarização do emprego e demissões de coletivos de trabalhadores.
IV. Correta. A partir dos anos 1970, a explosão mundial do desemprego e a escassez de postos de trabalho estabeleceram um novo perfil junto à força de trabalho. Ao contrário do período denominado “os trinta gloriosos”, quando predominava o “pleno emprego”, o quadro pós 1970, em diversos países, apontou para que o desemprego passou a ser de longa duração e seletivo, atingindo mais intensamente os desqualificados em relação aos qualificados. Os estudos apontam, também, para desvantagens das mulheres em relação aos homens no que se refere à manutenção do emprego e também o crescimento dos chamados empregos modelo Mac Donald’s, que possuem por característica a baixa remuneração, a alta rotatividade e a precarização das relações de emprego.