Iraque beneficia China com Petróleo

BAGDÁ - Desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003, o Iraque se tornou um dos maiores produtores de petróleo do mundo. Hoje, a China é seu maior cliente.
A China compra quase a metade do petróleo produzido no Iraque, cerca de 1,5 milhão de barris por dia, e está querendo uma parcela ainda maior, com uma proposta de participação na Exxon Mobil em um dos maiores campos de petróleo do Iraque.
"Os chineses são os maiores beneficiários do boom do petróleo pós-Saddam", disse Denise Natali, especialista em Oriente Médio na Universidade de Defesa Nacional em Washington.
As companhias estatais chinesas levaram centenas de trabalhadores para o Iraque e despejaram no país mais de US$ 2 bilhões por ano. Elas se mostraram dispostas a seguir as regras do novo governo iraquiano e aceitar lucros mais baixos para conseguir contratos.
"Nós perdemos", disse Michael Makovsky, ex-autoridade do Departamento de Defesa dos EUA no governo Bush que trabalhou na política do petróleo no Iraque. "Os chineses não tiveram nada a ver com a guerra, mas, do ponto de vista econômico, eles estão lucrando com ela e nossa Quinta Frota e a força aérea ajudam a garantir seu abastecimento." 
Refinaria de petróleo em Basra, sudeste de Bagdá; do ponto de vista econômico, a China lucrou com a Guerra do Iraque
Refinaria de petróleo em Basra, sudeste de Bagdá; do ponto de vista econômico, a China lucrou com a Guerra do Iraque

No deserto perto da fronteira do Iraque, a China construiu recentemente um aeroporto para levar trabalhadores para os campos de petróleo no sul do país. Há planos de começar em breve voos diretos de Pequim e Xangai para Bagdá. Os executivos chineses impressionam seus anfitriões falando árabe com sotaque iraquiano.
A China aceita as condições do Iraque, o que gera lucros mínimos, porque está mais interessada em energia para alimentar sua economia do que em lucros para enriquecer suas gigantes do petróleo.
As empresas chinesas não têm de responder a acionistas, pagar dividendos ou mesmo gerar lucros. Elas são ferramentas da política de Pequim para garantir o suprimento de energia à sua enorme população.
No final do ano passado, a Corporação Nacional de Petróleo da China fez uma proposta de participação de 60% no campo de petróleo de West Qurna I. A Exxon Mobil resistiu à pressão para vender, e, em março, a companhia chinesa disse que estaria interessada em formar uma parceria com a americana no campo de petróleo.
A produção iraquiana aumentada, grande parte da qual é bombeada por trabalhadores chineses, protegeu a economia mundial de uma alta nos preços do petróleo resultante das sanções ocidentais às exportações do produto pelo Irã.
O interesse da China pelo Iraque também poderá ajudar a estabilizar o país, que enfrenta um grave conflito sectário.
"Do ponto de vista geopolítico, isso desenvolve laços estreitos entre a China e o Iraque, embora a China não se envolva na política", disse David Goldwyn, coordenador do Departamento de Estado para assuntos internacionais de energia no primeiro governo Obama. "Agora que eles estão lá, têm interesse em garantir a continuidade do regime que facilita seu investimento."
A China tornou-se recentemente o maior importador mundial de petróleo. Ela está investindo em campos de petróleo e gás em todo o mundo -US$ 12 bilhões em 2011, segundo o Departamento de Energia dos EUA.
O Iraque estima que seus campos, gasodutos e refinarias precisam de US$ 30 bilhões em investimentos anuais para que o país se torne uma das maiores potências energéticas das próximas décadas.
Mas empresas estrangeiras nem sempre são entusiásticas sobre as condições nacionalistas desfavoráveis do Iraque ou a instável situação de segurança que pode colocar funcionários em perigo. Algumas, como a Statoil da Noruega, deixaram o país ou reduziram suas operações.
Os chineses, frequentemente como sócios de companhias europeias como BP e Turkish Petroleum, ocuparam o vazio.
"Eles oferecem muito capital e disposição para entrar rapidamente e com grande apetite por risco", disse Badhr Jafar, presidente da Crescent Petroleum, companhia independente sediada nos Emirados Árabes Unidos.

TIM ARANGO e CLIFFORD KRAUSS DO "NEW YORK TIMES" 
Fonte: Folha de S. Paulo. Caderno Mundo. 18/06/2013.

28 comentários:

  1. Em virtude dos fatos mencionados, uma das coisas mais interessantes é que a China não investe para ter lucros e sim energia, estranho pois outros países investem para se ter lucro. Outro fator é que a China investe muito, com trabalhadores, e aeroportos. Ela investe US$ 2 bilhões por ano no Iraque. Para se ter uma ideia do tanto que a China investe no petróleo, só em 2011 ela investiu US$ 12 bilhões, por causa disso recentemente a China se tornou o maior importador de petróleo do mundo.
    Carlos Eduardo Martins 9°O.C.

    ResponderExcluir
  2. Nos últimos anos a China tem investido fortemente para obter energia, construiu na fronteira do deserto perto do Iraque um aeroporto, exclusivo para transportar trabalhadores para os campos de petróleo no sul do país. Ainda convém lembrar, que eles não investem apenas para ter lucros, mais especial para obter energia. Eles investem em torno de US$2 bilhões por ano no Iraque. No final de 2012, a Corporação Nacional de Petróleo da China havia feito uma proposta para ter 60% de participação no campo de petróleo de West Qurna I. A Exxon Mobil resistiu à pressão para vender, porém, em março, a companhia chinesa disse que estaria interessada em formar uma parceria com a americana no campo de petróleo.
    João V. Damasceno 9° ano OC N° 14

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Ao ler essa reportágem, percebemos como a situação da China está crítica devido a grande população, eles não precisam de grandes lucros, mas sim da energia para abastecer sua população.Por mais que esses invesimentos beneficiam o Iraque, é importante ressaltar que a China não faz isso por simples caridade, um exemplo disso são as qualidades precárias de trabalho das empresas,a China realmente precisa dessa enertgia.Por isso empresas de países mais desenvolvidos estão deixando o Iraque, é um risco investir tanto dinheiro em um empreendimento que pode dar prejuízo repentinamente, devido a política instável do Iraque.Agora resta aos chineses torcer para que não ocorra nenhuma crise política em nenhum dos países não se eles quiserem continuar investindo.
    Maria Eduarda Griggio Cartapati 9ºOC
    PS: Desculpe pelo número de comentários excluídos, tive alguns probleminhas na hora de publicar

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. O mais interessante sobre o assunto, é que , os investimentos chineses no Iraque , levam o aumento da produção do petróleo , e por sua vez, a queda do preço do mesmo, em escalas mundiais; Então, a China não é a única beneficiada, e sim , o mundo todo, inclusive os EUA, que se diz prejudicado.
    Também é interessante que a China, não investe no Iraque para obter algum lucro, e sim para ter energia.Isso fica claro quando as empresas chinesas se mostraram dispostas a seguir as regras do novo governo iraquiano e aceitar lucros mais baixos para conseguir contratos.
    Gustavo Oliveira Padial 9°ano O.C. N° 10

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Em virtude dos fatos mencionados acima, o mais interessante sobre essa reportagem foi que a China não investe para ter lucros, mas sim para ter energia já que tem uma população enorme e por isso tem investido muito como o aeroporto para levar trabalhadores para os campos de petróleo no sul do país. Outro fator interessante foi que a China investiu muito no Iraque porque desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003, o Iraque se tornou um dos maiores produtores de petróleo do mundo, portanto a China investe muito nele, (US$ 2 bilhões por ano), e graças a isso a China tornou-se recentemente o maior importador mundial de petróleo investindo também em gás.
    Giovanna Novo 9º O.C. Nº 8

    ResponderExcluir
  10. O mais interssante dessa reportagem é que a China não investe para ter lucros, mas sim para ter energia, porque tem uma grande população. Por isso eles também tem ibvestido bastante em aeroportos para levar os trablhadores para o sul do país. Outro fator interessante foi que a China investiu muito no Iraque porque desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003, o Iraque se tornou um dos maiores produtores de petróleo do mundo, portanto a China investe muito nele, e graças a isso a China se tornou o maior importador de petróleo, investindo também em gás.
    Henrique Soares 9° O.C N° 11

    ResponderExcluir
  11. Em virtudes dos fatos mencionados,a China aceita as condições do Iraque, o que gera lucros mínimos, porque está mais interessada em energia para alimentar sua economia do que em lucros para enriquecer suas gigantes do petróleo.Por outro lado a China tornou-se recentemente o maior importador mundial de petróleo. Ela está investindo em campos de petróleo e gás em todo o mundo -US$ 12 bilhões em 2011, segundo o Departamento de Energia dos EUA.Sendo assim faz com que a China se torne a maior importadora de Petróleo do Iraque.
    Bruna ROdrigues 9°ANO O.C N°01

    ResponderExcluir
  12. Sobre os fatos mencionados a cima, o mais interessante é que a China não investe nos lucros como nos outros países e sim no petróleo, para se ter uma ideia construiu na fronteira do Iraque um aeroporto para transportar os trabalhadores para os campos de petróleo do sul do país, ela investe cerca de US$ 2 bilhões por ano só no Iraque. Só em 2011 ela investiu US$ 12 bilhões no petróleo tornando-se o maior importador mundial de petróleo.
    Gabriela Piornedo 9º O.C. Nº 7

    ResponderExcluir
  13. O que podemos concluir com a reportagem, é o alto uso de energia pela China, uma vez que estão comprando energia sem se importar com o lucro, e por consequência a industria da China precisa desta energia, ou seja, ela vem aumentando junto com as importações do petróleo do Iraque pelos Chineses, e isso da uma enorme quantidade, e que os avanços dos Estados Unidos no Oriente Médio foram praticamente em vão para eles, já que o petróleo está indo para a China e é os Estados Unidos quem se certificam que não haverá mais guerras por lá.
    Igor Griggio 9ºO.C. nº12

    ResponderExcluir
  14. Com base nos fatos mencionados no texto acima, a China, diferente de muitos países não investe em lucros, mais sim em energia (petróleo) para alimentar sua economia. E o mais importante sobre os fatos, são os investimentos chineses no Iraque. A China não quer Lucros do Iraque.. Mas sim energia, que beneficia outros países, como os EUA.
    Matheus Zanatta 9º O.C Nº22

    ResponderExcluir
  15. Desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003, o Iraque se tornou um dos maiores produtores de petróleo do mundo e hoje, a China é seu maior cliente.A China compra quase a metade do petróleo produzido no Iraque, cerca de 1,5 milhão de barris por dia e ainda investe no transporte para os seus trabalhadores, a China não faz isso em busca de lucro e sim em busca de mais energia para o seu país Carlos Conciani 9°O.C N°2

    ResponderExcluir
  16. Depois de lermos com atenção a reportagem acima vemos que a China não esta se preocupando com os lucros e sim com o produto que estão comprando para abastecer a sua alta população.A China investe muito no Iraque, são investidos em média US$2 bilhões por ano. EM 2011 A China foi nomeada a maior importadora de petróleo do mundo investindo mais de US$12 bilhoes.Luca Sutil Guarezi 9°O.C N°15

    ResponderExcluir
  17. A reportagem acima, mostra que a China é país que mais importa Petróleo, porque tem que suprir o alto uso de energia de sua grande população, ela investe para conseguir energia e não para obter lucro, como os outros países. A China investiu cerca de US$ 2 bilhões no Petróleo do Iraque, que após a invasão dos EUA se tornou um grande produtor, ela também criou na fronteira do deserto perto do Iraque um aeroporto, para transportar trabalhadores para os campos de petróleo no sul do país. A Corporação de Petróleo da China fez uma proposta para que recebesse 60% da participação no campo de petróleo de West Qurna I, a China recusou a proposta e declarou que estaria interessada em formar uma parceria com a americana no campo de petróleo.
    Mariana Dreher Luiz 9° O.C n° 19

    ResponderExcluir
  18. Levando-se em conta o que foi observado, a China não se preocupa em ter grades lucros, e sim prefere ter uma grande quantidade de energia. Segundo o Departamento de Energia dos EUA a China tem investido em campos de petróleo e gás. O Iraque se tornou um dos maiores produtores de petróleo do mundo,desde da invasão liderada pelos EUA,sendo assim a China investe nele. A China tem construído aeroportos para levar trabalhadores para os campos de petróleo que se localiza no sul do país. Ainda convém lembrar que a China se tornou o maior importador mundial de petróleo dos últimos tempos.
    Rafaela Formicoli Alves 9ºO.C Nº26

    ResponderExcluir
  19. Segundo a reportagem a cima, a China investe no Iraque para obter energia para assim sustentar sua enorme população, e não para obter lucros. A china investe por ano, aproximadamente US$ 2 bilhões no petróleo do Iraque, que depois de invadido pelos Estados Unidos, se tornou um grande produtor. É interessante que apesar da tentativa de proposta falha da Corporação Nacional de Petróleo da China para ter 60% da participação no campo de petróleo de West Qurna l em 2012, este ano a Companhia Chinesa voltou a se interessar em uma parceria com a companhia americana no campo de petróleo. É importante lembrar também que na fronteira do deserto, a China criou um aeroporto, para que os trabalhadores fossem ao campo de petróleo no sul do país. E hoje a China é a maior importadora de petróleo do Iraque do mundo.
    Maria Eduarda Rezende Ferro n° 18 9º O.C.

    ResponderExcluir
  20. Ao ler a reportagem, achei interessante o fato da China, mesmo com as condições iraquianas, importar tanto petróleo, isso indica a crise presente na China e a sua necessidade de energia para suportar a industrialização, e fica claro que fazem isso pela energia e não pelo lucro, por investirem tanto sem visar riscos. Isso também causa certo receio nas empresas do Iraque, que, apesar de estar sendo beneficiado, fica com a politica econômica instável, devido ao risco de uma "quebra" repentina.
    Carlos Sergio Barranco Filho 9ºO.C. nº4

    ResponderExcluir
  21. Por tudo o que foi mencionado no texto acima, a China não busca por lucro mas sim por energia, por ter uma grande população. Esse é um fator que levou a China a ser a maior exportadora do mundo, apenas em 2011 ela investiu cerca de US$ 12 bilhões pelo mundo e que fez a China investir em média US$ 2 bilhões anuais no Iraque. A China compra quase a metade do petróleo produzido no Iraque. Recentemente a China construiu um aeroporto para levar trabalhadores aos campos de petróleo no sul do Iraque.

    Gabriel José Prado 9°O.C. N°06

    ResponderExcluir
  22. Com base no texto acima, a China investe muito no petróleo mas nao é para lucrar e sim para conseguir energia. É importante tambem saber que a China é um grande importador de petróleo, um dos maiores do mundo. Investe cerca de 2 bilhoes por ano apenas no Iraque e esses investimentos levaram a produção do petróleo aumentar, oque abaixa seu preço e acaba beneficiando não só a China mas todos os outros países.
    Maria Eduarda Becker Pagani
    9º O.C numero 16

    ResponderExcluir
  23. De acordo com os fatos mencionados acima a China está em uma situação muito precária,devido ao tamanho de sua população,ela não está em busca de lucros mais sim de energia,a China investiu mais de 2 bilhões no petróleo do iraque.os avanços e os investimentos feito pelo E.U.A no Oriente Médio,não fizeram muita diferença para o Iraque,já que o petróleo vai todo para a China,e é os E.U.A. que certificam que não haverá mais guerra por lá,recentemente a China construiu um aeroporto para levar os trabalhadores aos campos petrolíferos no sul do Iraque.
    Taylise Geraldi 9ºO.C.

    ResponderExcluir
  24. Através dessa reportagem pude observar que a China é a maior compradora de petróleo do Iraque e esta querendo comprar uma parcela ainda maior. Também me chamou a atenção o fato da China investir no Iraque, levando trabalhadores e injetando capital. O interessante é que a China faz tudo isso, interessada apenas na energia gerada através do petróleo que necessita para alimentar a sua economia, hoje considerada uma das maiores potencias do mundo. Além disso a China não esta investindo só no Iraque, está investindo também em outros países, tornando-a a maior importadora de petróleo do mundo, tamanha é a sua necessidade de energia para mante-la.
    Carolina Barranco 9º O.C Nº05

    ResponderExcluir
  25. Através desta reportagem consegui perceber, a China investe muito no Iraque no petróleo. Para que a produção aumentasse a China construiu um aeroporto, assim teriam mais trabalhadores. A China investiu cerca de US$ 2 bilhões anuais apenas no Iraque e US$ 12 bilhões pelo mundo em 2011.
    Thiago Ferreira Kikuti Nº28 9ºoc

    ResponderExcluir
  26. de acordo com os fatos mencionados acima,pude perceber que nos ultimos anos,a china vem investindo fortemente em energia vinda do petroleo,e isso nao ocorre para obter lucros,essa energia e usada em beneficio proprio do país,construiram até um aeroporto para facilitar seu acesso.Outra coisa que me chamou a atencao sao os investimentos da china no Iraque,a china investiu quase 2 bilhoes,e esse nao e o unico país em que investem. Atualmente a china e um dos principais importadoras de potróleo do mundo.

    ResponderExcluir
  27. a china vem investindo em energia do petroleo isso nao gera lucro isso é para o proprio país como construçao de aeroportos para facilitar o acesso a chian investiu muito no iraque mas nao é o único. atualmente a china é uns dos principais importadores de petroleo

    ResponderExcluir
  28. Em virtude dos fatos mencionados acima, é possível observar que a China vem investindo muito para produzir bastante energia, e não exclusivamente por lucros, a China investiu US$2 bilhões no Iraque, e em todo o mundo US$ 12 bilhões apenas em 2011. A energia que eles produzem é utilizada para uso próprio do páis, construiram um aeroporto para facilitar o transporte de funcionários. Nos dias atuais a China é um dos maiores importadores de petróleo do mundo.
    Izabelle H. Santana N°13 9ano OC
    PS: Tive alguns problemas na conta, por isso postei pela conta do João.

    ResponderExcluir