Ilha de plástico no Pacífico aumentou 100 vezes

A ilha de plástico no Pacífico já ocupa uma área maior do que 586 mil quilômetros quadrados de extensão e está alterando o ecossistema marinho.

por Débora Spitzcovsky  Planeta Sustetável

Garrafas de plástico


Além das partículas plásticas serem ingeridas pelos animais marinhos e aves, a aglomeração de plástico no oceano está provocando a proliferação de um inseto que se alimenta de ovos de peixe e plâncton
Amassa de pequenos pedaços de plásticoque emporcalha ooceano Pacíficoaumentou cerca de 100 vezes nas últimas quatro décadas, segundo estudo doInstituto Oceanográfico Scripps (SIO), dos EUA.
Liderada pela oceanógrafaMiriam Goldstein, a pesquisa apontou que ailha de plástico no Pacífico já ocupa uma área maior do que o estado de Minas Gerais, que possui mais de 586 mil quilômetros quadrados de extensão, e está alterando oecossistema marinho.
Isso porque, além das partículas plásticas -que são ricas em produtos químicos tóxicos- serem ingeridas pelos animais marinhos e aves, aaglomeração de plástico no oceanoestá provocando a proliferação do insetoHalobates sericeus, que se alimenta de ovos de peixe e plâncton. O animal, que vive no mar, necessita de uma superfície dura para depositar seus ovos, que é encontrada com muito mais facilidade a medida que a quantidade de lixo plástico aumenta no oceano.
De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o problema do lixo plástico é mais grave no norte do Oceano Pacífico, mas se repete em todo o ambiente marinho do planeta. Em cada km² de oceano são encontradas, em média, 13 mil partículas de microplástico, que derivam desacolas descartáveis, entre outros resíduos.
Leia  mais: National Geographic

Nenhum comentário:

Postar um comentário